O LEIGO NA IGREJA E NO MUNDO
Postado por Gonçalo Flamarion Lopes e Silva em 26.10.2016 �s 13:36:20

Aproxima-se 2017, quando no dia de Cristo Rei, 26 de novembro desse ano, daremos inicio ao Ano do Laicato. Neste período estaremos comemorando os 30 anos do documento pós-sinodal, a exortação Christifideles Laicique em palavras do Papa, esteve voltado a indicar caminhos para que a ‘teoria’sobre o laicato se converta em praxe na Igreja.

É tempo de fazermos uma nova leitura deste importante documento a fim de aprofundarmos todas as questoes referentes ao Leigo e, ao mesmo tempo, procurarmos atualizá-las tendo em vista que estamos vivendo uma mudanca de época, conforme as Diretrizes Gerais da Acao Evangelizadora do Brasil. Sabemos que ao longo dos trabalhos do Sinodo, houve constante referência ao Concílio Vaticano II, cuja doutrina sobre o laicato é capaz de iluminar e de guiar as respostas que hoje devem ser dadas aos novos problemas enfrentados nos dias atuais.

Mas o que entendemos por LEIGO?   No Cristianismo, os leigos são aqueles que não são ordenados, isto é, que não receberam o sacramento da Ordem. A palavra "leigo" vem do grego "laós" e significa "membro do Povo de Deus". “Os Leigos são cristãos que têm uma missão especial na Igreja e na sociedade. Pelo batismo, receberam essa vocação que devem vivê-la intensamente a serviço do Reino de Deus”1. Na Igreja existem as diversas vocações: a sacerdotal, a diaconal, a religiosa e a leiga. Todas elas brotam do Batismo, fonte de todas as vocações.

Temos que, pela história da Igreja, antigamente só os ministros ordenados  e religiosos consagrados eram valorizados. A missão do leigo era relegada a segundo  plano. Porém, depois do Concílio Vaticano II, “iniciou-se uma caminhada histórica de maior consciência da identidade e da missão dos cristãos leigos e leigas”2, que aliadas a suas vocações foram revalorizadas, chegando-se a condição de, nas comunidades eclesiais,  serem chamados a desempenhar diversas tarefas: catequista, Ministro extraordinário da Sagrada Comunhão, Ministro extraordinário da Palavra, agente das diferentes pastorais, movimentos e serviços. Suas atuações se nos apresentam como  testemunhos de cristãos comprometidos que devem ser seguidos.

Com  alegría vemos que  muitos leigos  ocupam lugar de destaque na administracão paroquial e diocesana, paticipando de conselhos pastorais e economicos. Vale ressaltar que apesar desses serviços que desempenham na comunidade eclesial, a missão mais importante dos leigos é no mundo. Eles são chamados a realizar sua missão dentro das realidades nas quais se encontram no dia-a-dia. 

 

Conforme o Doc. 105, da CNBB,  muitos foram os avanços e também os recuos. Como avanços, destacamos alguns: a ação evangelizadora dos cristãos leigos e leigas tem se fortalecido e aumentado no âmbito eclesial, a criação do CNLB(Conselho Nacional do Laicato no Brasil) e os conselhos de leigos nos  regionais e dioceses. Quanto aos recuos, temos dois que merecem destaque: há ainda resistência quanto à opção pelos pobres e falta avançar no ecumenismo e dialogo inter-religioso.


Somos conscientes que precisamos estar em fromação permanente, por isso faz-se necessário um aprofundmento da Vocacao laical, fazer cursos sobre a Doutrina Social da Igreja e participarmos de encontros de formacao. Também devemos estar atentos aos documentos do Concílio Vaticano II. Mas, de uma forma especial, devemos estudar e aprofundar  o Doc 105 da CNBB, intitulado Cristaos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade, aprovado pela 54a. Assembleia Geral da CNBB.

 

Além de outros assuntos importantes, este documento destaca o cristão leigo como sujeito eclesial, que significa “ser maduro na fé, testemunhar amor à Igreja, servir os irmaos e irmas, permanecer no seguimento de Jesus, na escuta obediente à inspiracao do Espírito Santo e ter coragem,  criatividade e ousadia para dar  testemunho de Cristo”.3

 

No próximo dia 20 de novembro, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo, a Igreja no Brasil recorda a vocação e missão de todos os batizados. É o dia Nacional dos cristãos leigos e leigas.

Vejamos o que dom Severino Clasen, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da CNBB, falou sobre a atuação dos leigos na celebração do dia do leigo, em 2012: “Queremos lembrar essa sublime vocação de animar a nossa Igreja, a sermos presença, sal e luz no mundo, através da vocação laica. Que sejam todos missionários, dentro e fora da Igreja, na construção de um mundo mais fraterno, justo e mais nobre”.

 GONÇALO FLAMARION LOPES E SILVA - Presidente do CNLB NE I

 

 

 

 

 

_________________

1  Dom João Bosco Óliver de Faria // A missão dos cristãos leigos

2 CNBB, Doc. 105, n. 23

3  CNBB, Doc. 105, n. 119

MAIS NOTÍCIAS
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19